terça-feira, 3 de outubro de 2017

Resenha: Medo Clássico - Edgar Allan Poe

   Olá, metamorphyos! Quem aqui é fã de um bom terror clássico?? Nada mais digno do mês do Halloween do que ler o mestre Poe. Então vamos dar uma conferida nessa edição maravilhosa da Darkside! <3
   Edgar Allan Poe não é considerado o mestre do terror à toa. Ele foi um dos grandes precursores do gênero e grande parte do que conhecemos hoje na literatura contemporânea voltada para o lado mais sombrio baseia-se no legado que ele deixou. Grandes nomes como Sir Arthur Connan Doyle (Sherlock Holmes), Stephen King, Nietzsche, Nabokov (Lolita), Julio Verne e inúmeros outros foram influenciados pelo estilo de Poe. Você pode até não ser fã, mas não há como negar a genialidade dele.
Verso do livro com o retrato de Poe.
   A edição da Darkside é o primeiro volume da coleção de clássicos do terror da Caveirinha, intitulada Medo Clássico. Na edição estão reunidos alguns dos principais contos de Poe, além do seu famoso poema O Corvo. Acho interessante também destacar, para contextualizar melhor vocês, que a vida de Poe foi regada a tragédias, o que obviamente transparecia na sua escrita. 
   Sempre num tom sombrio, taciturno, gótico e absolutamente romântico, muitas vezes nos perguntamos o que levou à criação dessa atmosfera cheia de horror. Aí está: o "fracasso" como autor em sua época, cheio de críticas e inimigos, a viuvez precoce, uma família ausente, o alcoolismo... Sua própria vida foi tão infame e trágica quanto suas histórias. 

    O livro é dividido em seções, cada uma com três contos, além do poema O Corvo. São elas: Espectros da Morte, onde esta é a grande personagem, permeando toda a narrativa; Narradores Homicidas, uma seção inteira cheia de vinganças e planos diabólicos; Detetive Dupin, contendo três contos investigativos que inspiraram a criação de Sherlock Holmes, Mulheres Etéreas, onde Poe deixa correr solta sua veia romântica; Ímpeto Aventureiro, com uma bela dose de aventura; e, por fim, o poema.
Sumário do livro contendo as seções.
   Acho importante, no entanto, avisá-los sobre o estilo de Poe. Se você ainda não conhece o autor, não espere sustos, medo, noites sem dormir... não é desse tipo de terror que estamos falando. Os temas envolvem situações que amedrontavam as mentes do século 18: a miséria, a doença, a desonra, a morte. Muitos contos causam sim certo mal estar, aflição, agonia. É um horror, a nível psicológico mesmo. Além de toda a aura sombria do período gótico do ultrarromantismo. 
   Então vamos ao que mais interessa: as histórias. Temos contos bem curtinhos e contos enormes. Contos angustiantes e outros mais arrastados. Temos tristeza e ódio, amor e decadência. E morte, muita morte. Não vou falar de todos os contos até porque não quero estragar a surpresa para vocês, mas vou destacar alguns.
"Aqueles olhos! Grandes, brilhantes, divinos! Pareciam-me as
estrelas gêmeas de Leda, e eu me tornei, diante deles, o mais devoto dos astrólogos.

   Ligeia foi um dos contos que mais me tocou em toda a leitura. Talvez por que eu não estava esperando por um Poe tão apaixonado, e olha que eu detesto os romances! O Poe do terror, do macabro, da maldade eu já conhecia e já era íntima há tempos. Mas o Poe que toca o coração com tanta beleza e com tanta tristeza, esse foi novidade. Mas também não espere por nada lindinho não! O sobrenatural ronda por quase todos os contos dele e ainda que romântico, não dá pra deixar de sentir um arrepio.

"Não haveria apenas de puni-lo, mas iria puni-lo com impunidade.
Um mal não pode ser reparado quando a revanche destrói o agente reparador."

   Toda a seção dos Narradores Homicidas merece um generoso destaque no livro. É onde vemos todo o desejo de vingança, sadismo e loucura dos personagens de Poe que, aliás, sempre são tratados em primeira pessoa. Se transpareciam alguns de seus mais sombrios pensamentos nunca saberemos ao certo, mas uma vez lidos os contos, nunca mais esquecemos. E pescamos referências aqui e ali influenciadas por essas histórias.
 
"Pode apostar que toda ideia pública e toda convenção recebida 
é uma bobagem, pois atendeu a maioria. (Chamfort)".
   A Carta Roubada é um dos contos investigativos do Poe, e o meu favorito dessa seção. Nele, e em vários outros, por sinal, vemos uma característica marcante, porém inesperada para quem não conhece o autor: a irreverência. Ou, de forma mais clara, o deboche. Poe conquistou inúmeros inimigos em sua vida, mas a verdade é que ele estava lá rindo e sambando na cara deles em cada espacinho que tinha. Sempre com muita elegância, é claro. Quem esperava que o mestre do terror tivesse tanto senso de humor? rs

"[...] E o corvo disse, 'Nunca mais'."

   Mas o xodó mesmo ficou por conta do famosíssimo poema O Corvo. Em versão original e também nas traduções por Machado de Assis e Fernando Pessoa (consideradas as melhores e mais fiéis), O Corvo é um Poema, assim mesmo, com P maiúsculo. Caso reste alguma dúvida sobre a grandiosidade do escritor, recomendo uma leitura profunda e atenta desse que é uma das obras mais conhecidas e pela qual Poe conquistou sua fama. Mas tem que ler com a alma, viu? Em voz alta, de preferência. Poesia a gente tem que ler sentindo cada rima, cada verso, cada estrofe.
   Por último, eu preciso falar sobre a diagramação e sobre as ilustrações maravilhosas que o livro traz. A cada conto temos uma ilustração que introduz a ideia central da história que vai ser apresentada, que já vai nos ambientando. Encontramos também um relato de Charles Baudelaire, um dos maiores rivais e, posteriormente, admiradores de Poe sobre a pessoa que o autor foi, bem como uma publicação do próprio Edgar Allan Poe contando seu processo de criação. Resumindo: essa edição é um dos meus bebês mais preciosos da estante. 

   Tanto aos amantes de Poe quanto aos que estão conhecendo o autor: leiam! E se você tem algum receio por se tratar de um clássico, posso logo lhe adiantar que não é um clássico "difícil". Depende de alguma reflexão para compreensão de alguns textos, mas a linguagem é simples, geralmente rápida e inovadora. Entregue-se sem medo. Mas pode ser com medo também, afinal tem que entrar no clima, né?


"Nemo me impune lacessit."
(Ninguém me insulta impunemente).

Medo Clássico: Edgar Allan Poe
Ano: 2017 | Páginas: 384
Editora: Darkside

   Espero que tenham gostado da indicação, Metamorphyos! Quero saber as opiniões de vocês sobre esse autor maravilhoso! Me contem tudo. <3

Beijos e até a próxima!

9 comentários:

  1. O livro que mais quero ler! Até final do ano o terei em minhas mãos. Gosto muito do conto do Gato Preto! Ótima análise. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li os textos de Poe muito a fundo, acho que li apenas um, acho que era Fantasma do Espelho se não me engano... e nem sei se estou pagando mico por não ter certeza se é dele também ou não... rsrs
    Mas não posso negar que ele é um clássico que merece ser lido e relido, mesmo que seus textos causem agonia, mas era a realidade da época. Amei essa edição da Darkside, está linda de paixão.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

    ResponderExcluir
  3. Ganhei esse livro de presente e amei a edição, o cuidado. Adoro o estilo de Poe, a maneira como nos impõe a sua realidade. Temos algo em comum. Eu adoro o conto 'a carta roubada'.
    E amo o conto 'o Sistema do Doutor Alcatrão e do Professor Pena'.
    Adorei esse post.

    bacio

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda, tudo bom? Esbarrei no seu post pelo grupo Blogueiros Geeks do Face e o tema me chamou a atenção. Essa edição da Darkside está linda demais, deu até vontade de comprar também! Eles sempre capricham na capa. Mas a revisão tá boa? Já ouvi críticas à editora por conta disso.

    Ah, e só um adendo: Poe viveu no século XIX, não no XVIII!

    Enfim, adorei o post! Não conhecia o blog, mas ficarei de olho à partir de agora! :) Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Antes de tudo eu preciso dizer uma coisa: a Darkside capricha que só nas suas edições, viu?! Nossa, eu babo em toda, cara! ♥
    Enfim, Poe é um autor que sempre tive curiosidade de ler. Uma vez eu pedi meu namorado para me dar um livro dele e ele me deu o livro de outro autor falando sobre o Poe - comprou só pq viu o nome do Poe na capa u_ú
    O único poema dele que conheço é o corvo mesmo, é o mais famoso! E essas ilustrações?! Um tum tum bateu mais forte em meu peito por tamanha admiração! Encantada!


    Beijos,
    Maryanne Simplício
    Blog Revelador

    ResponderExcluir
  6. Confesso que nunca li livros/contos do Poe, mas tenho muita curiosidade, principalmente por se tratar de um clássico e ter atraído tantos fãs, mas, talvez, por ser um clássico, eu tenha um pouco de receio de descobrir o que vou encontrar, medo de me decepcionar com a leitura, algo assim, aquela questão de expectativa x realidade, mas espero tomar coragem para ler.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. A cada vez que vejo esse livro fico mais encantada e com vontade comprá-lo. Nunca li nada do Poe, mas sei que ele foi uma inspiração para o Tim Burton, o que é mais um motivo para comprar o livro (além dessa edição linda da DarkSide hehe). Parecem ser contos não tão assustadores para mim, mas sim uma coisa mais psicológica. Eu adoro isso! A resenha está incrível *-*

    ResponderExcluir
  8. Oiie

    Eu fiquei até mais animada depois de saber que não deixa com "medo" hahahah Eu acho linda demais essa edição, com certeza quero ler!!

    Adorei sua resenha!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  9. Esse livro tem uma edição maravilhosa, tenho desejado ele demais, com as suas fotos dá para ver ainda mais detalhes da edição e eu tô pirando aqui. Nunca li nada do Poe e já passou da hora de eu ler, preciso pra ontem hahah

    Beijos,
    PINGUIM TAGARELA

    ResponderExcluir

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!