sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Resenha: As Tumbas de Atuan

   Olá, metamorphyos! Tudo bem com vocês? Hoje vamos ver a resenha de um dos livros que eu li recentemente, As Tumbas de Atuan, continuação de O Feiticeiro de Terramar, da Ursula K. Le Guin! Vem ver o que eu achei! <3


   As Tumbas de Atuan é o segundo livro da série O Ciclo Terramar, da Ursula K. Le Guin, cujo primeiro livro eu já resenhei aqui, e é um livro publicado originalmente em 1970 e trazido para o Brasil em 2017 pela editora Arqueiro.

   Apesar dos eventos narrados neste segundo volume serem cronologicamente posteriores ao Feiticeiro de Terramar, não há uma continuação direta da história, havendo apenas menção aos fatos ocorridos anteriormente e a aparição do protagonista do primeiro livro, o Gavião.


“A maioria das coisas envelhece e perece com o contínuo passar dos séculos. Pouquíssimas são as coisas preciosas que continuam preciosas, ou as histórias que ainda são contadas.”

   Em As Tumbas de Atuan não acompanhamos mais a história pela perspectiva do Gavião, que vocês devem se lembrar que é o personagem principal do primeiro volume, mas agora temos a história contada através de Tenar, uma jovem menina que foi escolhida desde criança para ser a sacerdotisa de um culto há muito esquecido e desde sempre temido: a seita dos Inominados.

   Os Inominados já fizeram uma aparição em O Feiticeiro de Terramar, mas é aqui neste livro que serão explorados. Seres das trevas, que nada criam e tudo destroem, sedentos por poder, verdadeiros demônios feitos de sombra. 
Temos novamente o mapa de Terramar.
E, dessa vez, o mapa das tumbas  de Atuan e do Labirinto.
   Ao ser escolhida como sacerdotisa, Tenar precisou abandonar tudo que uma criança pode ter: família, qualquer bem material e inclusive seu nome, passando a se chamar simplesmente Arha, a Devorada. Ela precisa, agora, viver em prol dos Inominados, realizar seus rituais, cuidar das tumbas e do Labirinto, lugares "sagrados" para esses seres onde a luz é proibida e há apenas trevas.

   Até que sua rotina monótona é quebrada pelo Gavião, o famoso feiticeiro de Terramar, que vem atrás de um dos maiores tesouros que os Labirintos de Atuan escondem: a metade do anel de Erreth-Akbe. Esse anel teria poderes incríveis nas mãos do mago.


A Terra é linda e luminosa e bondosa, porém não é só isto. A Terra também é terrível 
e obscura e cruel. [...] E, quando os homens cultuam essas coisas e se humilham 
diante delas, é aí que o mal se reproduz.”


   Obviamente, Arha não pode deixar um ladrão entrar em seus domínios e arruinar seu culto. Ela toma o Gavião por prisioneiro e, agora, precisa fazer uma escolha: qual o destino dele? 

   Mais do que um livro de fantasia, As Tumbas de Atuan é um livro sobre a natureza humana. Sobre questionamentos de caráter, de certo e errado, sobre o que é justiça, sobre escolhas e consequências. Vale ressaltar também que Tenar é, para sua época, uma precursora das heroínas em histórias de fantasia. Em 1970 nem se pensava em uma protagonista feminina e todas as histórias eram sobre as aventuras de homens.

   Alguns podem dizer que Ursula K. Le Guin é clichê. Eu, no entanto, digo pra vocês: ela criou o que hoje achamos clichê. Uma das maiores mestres de fantasia, que tanto se assemelha e tanto se distancia de Tolkien, hoje é uma inspiração para muitos outros escritores consagrados da fantasia, como Neil Gaiman. E não é a toa: o talento que demonstra nesse livro, por exemplo, é enorme e inquestionável.

   Tenham em mente, ao fazer a leitura, de que se trata de um clássico da fantasia. Garanto que, ainda assim, poderão se surpreender com alguns elementos presentes na sua história. Tenar é uma personagem digna de representar a todas nós, mulheres, em uma época em que não tínhamos espaço na literatura. E, junto com Gavião, temos um duo extremamente cativante. Além da representatividade feminina, Gavião é um rapaz negro. Ora, em 1968, quando ele foi criado, quantos heróis negros tínhamos? 


   Todos esses motivos me chamaram muito a atenção na escrita da Ursula K. Le Guin e merecem ser compartilhados e enaltecidos porque só demonstram a relevância de seu trabalho. Eu me apaixonei ainda mais pela autora nesse segundo volume da série, e não só recomendo como torço para que compartilhem da minha paixão!

As Tumbas de Atuan - Ciclo Terramar #2
Autora: Ursula K. Le Guin | Ano: 1970
Páginas: 160 | Editora: Arqueiro

Ciclo Terramar (Títulos disponíveis no Brasil):
#2 - As Tumbas de Atuan


   O terceiro livro da série está para ser divulgado a qualquer momento pela editora Arqueiro! Vamos aguardar. <3
   Espero que tenham gostado e aguardo suas opiniões nos comentários! <3

Beijos e até a próxima!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!