segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Análise: Trilogia Silo

   Olá, metamorphyos! Vamos para mais uma análise, dessa vez da Trilogia Silo. Distópica e pós-apocalíptica, é um tiro certo para quem já gosta de distopias, mas vem comigo que vou contar o porquê e mostrar cada livro para vocês.

   Escrita por Hugh Howey, um autor novato, a trilogia foi seu primeiro trabalho. Nasceu de forma despretensiosa, publicado apenas em plataforma digital em vários volumes, conforme o autor escrevia, e logo ganhou tantos fãs que surgiu o interesse em lapidar a história, dividi-la em três livros, Silo, Ordem e Legado e publicá-la em formato físico. 


"— Nós somos as sementes — disse ele. 

— Isto é um silo. 
— Eles nos botaram aqui para os períodos difíceis."

   Acho impressionante como é raro ver leitores do Silo. Houve pouca divulgação por parte da editora, na minha opinião, o que prejudica um pouco o conhecimento do público sobre os livros, inclusive para que saibam do que se trata. Mas vamos ao que interessa!
Silo (Wool) - Hugh Howey
Ano: 2011 | Editora: Intrínseca

   Primeiramente, um silo é uma estrutura geralmente de uso agrícola para armazenamento de grãos. No caso da nossa história, o silo é uma gigantesca construção enterrada vários e vários níveis abaixo do solo para armazenar... pessoas. A premissa é de que o mundo foi destruído e o ar exterior é tão contaminado que uma pessoa só conseguiria sobreviver por poucos minutos à exposição. Esses silos existem, sabe-se lá por que (calma que vamos chegar lá), e abrigam uma grande quantidade de pessoas que vivem suas vidas normalmente. Casam, têm filhos, trabalham, cultivam fazendas hidropônicas, possuem pequenas criações de animais... e existem aquelas que controlam o silo e guardam segredos demais.

"Ideias são contagiosas."

   A história se desenvolve em torno de Juliette, uma moça dos níveis inferiores, mecânica, prática, honesta até a raiz dos cabelos. Juliette não entende nada de política, abomina todas as mentiras e mistérios e questiona demais. Os habitantes do silo que se mostram muito cheios de ideias e sonhos, que perguntam demais e não aceitam tudo docilmente aguardam um destino: a limpeza. Foi o que aconteceu com um personagem que conhecemos logo no comecinho, Holston, o antigo Xerife. Acompanhamos a limpeza dele, que consiste basicamente em sair do silo e "limpar" as lentes que monitoram o exterior. Ou seja, uma sentença de morte.

   Então conhecemos Juliette, uma das candidatas a assumir como Xerife. E aí todo o problema começa. Juliette começa a se interessar demais pelos motivos que levaram Holston a querer sair e se vê presa numa teia de segredos, conspirações e disputas por poder. O silo vive sob um regime autoritário em que a pergunta mais "inocente", um passo em falso, pode criar uma faísca de revolta e dizimar a população.
   Como toda boa distopia, Silo apresenta um cenário desesperador, um governo com punhos de ferro, personagens que desafiam a Ordem e elementos de survivor - uma luta desenfreada e de tirar o fôlego pela própria sobrevivência (e de outros também). Esse livro me conquistou e entrou para minha lista de favoritos sem muito esforço.
Ordem (Shift) - Hugh Howey
Ano: 2013 | Editora: Intrínseca

   Aí depois de todo o frenesi que vivemos com Juliette, Ordem chega para dar uma quebra radical no ritmo da leitura. Confesso que sofri com isso e fiquei muito decepcionada, mas acredito ser culpa minha pela expectativa errônea que criei. Agora vocês já estão avisados, rs.

"[...] homens maus surgiam de sistemas maus, 
e que todo homem tinha o potencial de ser corrompido."

   Em Ordem, nada de Juliette para nós. As menções são breves e o foco é todo no Troy, uma das mentes por trás de spoiler alert todos os silos. Vamos descobrir o que aconteceu com o mundo, quem orquestrou tudo, como as coisas chegaram nos dias de hoje. É um livro de respostas (e mais algumas tantas perguntas) e, apesar de ser mais explicativo, com grandes diálogos e revelações, temos momentos muito marcantes e, devo dizer, chocantes. Como a humanidade é capaz de coisas tão atrozes? 

   Sim, é ficção, é distópico, mas poderia acontecer? Sim, poderia. Só o ser humano consegue ser tão doentio a ponto de criar seu próprio fim.

   Além de Troy conhecemos também Thurman, o cretino mais cretino que poderia existir, e Anna. Juliette faz muita falta e eu não consegui gostar de nenhum dos três personagens do plot do Ordem, mas o livro se faz essencial para dar embasamento, verossimilhança e credibilidade ao universo criado pelo autor.
Legado (Dust) - Hugh Howey
Ano: 2013 | Editora: Intrínseca

   Voltamos à Juliette, amém. Depois de tantas descobertas, só resta agir. E em Legado a ação é a força motriz do livro com inúmeros momentos de tensão, conspiração, medo, pânico, dor. Decisões precisam ser tomadas e nenhuma delas é fácil. Um erro e tudo pode se acabar.

Não tinha volta. Desculpas não consertavam as coisas, eram apenas
 um reconhecimento de que algo tinha sido quebrado.

   Ainda acompanhamos o Troy, com pontos de vista intercalados entre capítulos e, assim, as últimas perguntas que foram suscitadas no Ordem vão sendo respondidas, além de outras descobertas que nem havíamos pensado. Claro que nada é fácil, e até que se consiga concluir qualquer coisa vamos tomando várias doses de tensão pura.
   Com Legado a história de Juliette, de Troy, de Solo (não posso falar muito dele para vocês, mas é o personagem mais amorzinho <3) e de tantos outros personagens incrivelmente construídos se encerra e deixa saudades. Temos uma protagonista badass até o final, guerreira, corajosa, desafiadora, mas esqueça os clichês. Não existe deus ex machina (soluções do além) aqui, nada irreal, nada de impossível. Se você espera pelo romance típico das distopias atuais, também sinto muito em lhe frustrar. Na luta pela sobrevivência não existe muito espaço para foco em romance.

   Uma bela conclusão, coerente, simples, em que acompanhamos o provável desfecho desde o começo, Legado não entrega nada de excepcional, mas sim um final justo, correto.
   A trilogia vale muito a pena, ainda que tenha pequenos altos e baixos. De forma geral, foi uma leitura muito satisfatória do começo ao fim, que me fez refletir sobre muitas coisas. O primeiro livro certamente foi o melhor, mais eletrizante, mas toda a história foi ótima. Para um primeiro trabalho, o autor fez um esforço louvável e criou um mundo intrigante e cheio de críticas, questionamentos. E, sobretudo, nos mostrou como a humanidade sobrevive, como reagimos com nossos instintos mais primários e como nos tornamos invencíveis quando conseguimos nos unir.

   Espero que tenham gostado da análise, e, sério, leiam!

Beijos e até a próxima!

19 comentários:

  1. Oi Amanda tudo bem?
    Eu já conhecia essa trilogia e sempre via diversos comentários positivos a respeito da mesma, creio que tu deve ter gostado e muito, mas para mim acho que não seria uma otima pedida. Lindas fotos e adoro seu capricho aqui no blog.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Eu amo universos distópicos. Algumas vezes me decepciono, é verdade, mas quase sempre acabo gostando. Nunca tinha ouvido falar sobre essa saga, mas sua análise me deixou com muita vontade de ler! A dica tá mais do que anotada!

    Beijinhos,
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Como você disse no começo da análise, esses livros não foram bem divulgados... Sigo muitos blogs e canais literários, mas você é a primeira pessoa que fala a respeito dessa trilogia.
    Quanto as obras em si, talvez por eu já ter lido muitas distopias clássicas e teens, não consegui me interessar por essa, pois ao longo da leitura fui pescando várias referências com outras obras e não acho que esta me acrescentaria algo inovador ou traria um questionamento diferente.

    ResponderExcluir
  4. AI MEU CORAÇÃO
    Sempre tive curiosidade para ler os livros só por causa das capas mesmo que são lindas, mas MDS depois de ler sua resenha estou percebendo o quanto de tempo perdi por ainda não ter lido. GENTEEE Um silo que armazena pessoas?????? QUE ISSO GENTE
    Eu sou piradona por distopias, sei que vou amar.
    Sua resenha ficou NOTA 1000

    ResponderExcluir
  5. Que resenha maravilhosa!!!! Conhecia pouco sobre essa trilogia, mas agora estou louca para ler!!! Adoro resenhas assim, da trilogia / série completa, dá vontade de comprar logo tudo rsrs

    bjssss
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia a trilogia, mas não gosto de disopias (só em filmes, vai entender). Porém, fiquei curiosa com essa e me interessei pela leitura. Não sei se eu gostaria, mas preciso ler para entender melhor as coisas.

    ResponderExcluir
  7. Oii! Eu não sabia que a primeira ideia do autor era publicar apenas em formato digital, que bom que a trilogia fez muito sucesso e eles publicaram na versão física. Adorei o enredo, segredos e conspirações, com certeza, devem deixar a história mais envolvente. Sua resenha está ótima e bem completa, vou adicionar essa trilogia na minha lista. Bjss!

    ResponderExcluir
  8. Conheço a série, mas não li nenhum dos livros ainda. Bom saber que a trilogia mantem-se linear, mas confesso que eu prefiro quando o enredo vem em uma ascendente, o que pelo visto aqui não foi né?
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o autor e me chamou a atenção o fato de ser distopia, gênero que gosto bastante. Muito bacana a explicação do que é Silo, coisa que eu não sabia o que era, valeu! Interessante “armazenar” pessoas para preservar pelo menos parte da humanidade. Gostei muito a sua descrição da personagem Juliette que é das minhas. (hahaha)
    Achei interessante sua análise da trilogia, os títulos dos livros que dá uma noção da sequência e me fez imaginar cada cenário e enredo pelo título.
    Parabéns por dar uma noção geral da trilogia toda, isso me convenceu a investir na leitura da mesma, digo isso pq realmente não gosto de sequencias, principalmente as que tem um ou dois livros lançados e os outros sabe-se lá quando será lançado em terras brasileiras, mas esta já está completa, então bora ler.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  10. Só li sobre o primeiro livro, pois ainda quero ler essa trilogia, acho a ideia bem interessante.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  11. Olá!!

    Eu não conhecia o livro, odeio quando as editoras pecam na divulgação de um livro (no caso trilogia) que tinha tudo para ser um mega sucesso, enfim eu fiquei bem interessado em realizar essa leitura, mesmo com minha cautela com distopias eu estou BEM inclinada a dar uma chance. Sua resenha está ótima e passa muita verdade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Não conhecia essa trilogia, mas a Intrínseca é assim mesmo, peca em várias divulgações de bons livros, apesar de não ler distopias nesse momento, vou dar uma procurada, porque gostei bastante de sua análise.

    ResponderExcluir
  13. Oiii!

    Eu concordo com você, a editora pecou na divulgação, lembro apenas de ler sobre o primeiro, fiquei surpresa ao saber dos demais livro ja estavam sendo lançados.
    Adorei conhecer um pouco mais. Sou encantada nessas capas.
    Dica anotada.

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  14. Oieee, ainda não conhecia a trilogia, mas como eu gosto muito de distopias ja vou colocar ela na lista!

    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  15. Olha, se não fosse por você eu não teria conhecido esta trilogia. Confesso que sequer lembro de já ter visto algo sobre estes livros em outro lugar, o que é uma pena, pois sinto que poderia já tê-los lido e aproveitado bastante a experiência.

    Gosto bastante de distopias e sua análise sobre os três livros despertou meu interesse, pois pude perceber que a história segue bem escrita, do início ao fim e que mesmo com algumas "baixas" eles têm muito a me oferecer.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Sempre vejo os livros nas livrarias mas não sabia do que se tratava, parece bom, mas não é exatamente algo que eu leria no momento.
    BJs

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem? Nunca ouvi mesmo falar dessa trilogia, o que achei triste, pois adoro o gênero *-* Pelos anos de publicação, deveria ter sido mais divulgada, levando em conta que a partir de 2012 (com THG) as distopias caíram geral no gosto do público. Fiquei muito interessada na história, primeiro por causa de uma sociedade se desenvolver no meio agrícola (sociedades futurísticas são quase sempre mais "tecnológicas", né), segundo, porque temos uma protagonista feminina. Gostei muuuito da sua recomendação e da sua resenha, me fez querer ler pra agora hahaha! Parabéns!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Olá, como vai?
    Não conhecia essa trilogia, mas amei sua análise. Esses livros me pegam de um jeito que fico babando na criatividade desses autores!!! Gosto muito de distopias com personagens bem construídos e que nos fazem questionar nossa realidade. Obrigada por me apresentar a essa obra. Um beijo e muito sucesso com o blog. <3

    ResponderExcluir
  19. Nossa, eu vi sobre esse livro a muito tempo mas havia esquecido o nome e por isso não consegui ler kkkkkk
    Sua resenha foi muito boa, estava com receio de ler e entregar muito da história. Mas só serviu para me deixar mais curiosa.
    O fato de não focar no romance é um diferencial bastante intrigante. Todos que já vi criam casais.
    Vou procurar para ler <3
    Beijos
    Até mais.

    ResponderExcluir

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!