quarta-feira, 31 de maio de 2017

Sete Vidas

   Olá, metamorphyos! Tudo bem? Poucas coisas transformam tanto a nossa vida quanto o amor puro e inocente que um bichinho tem por nós e nos ensina a sentir. Vou contar um pouquinho pra vocês como eles me transformaram.



   Eu fui a típica criança de apartamento, meio medrosa, sem contato com nenhum bichinho e com pavor de cachorros (ainda tenho!), e sempre pedia um gatinho. Passei minha infância e a adolescência inteira assim, até que, aos 16 anos eu comprei uma filhotinha de gato com a minha própria mesada e, desde então, tudo mudou. A minha Docinho ficou comigo por apenas dois anos, mas o que ela me ensinou ficou pra sempre. 
   Dizem por aí que gatos são traiçoeiros e não têm amor aos donos. Pois eu digo que essa é a maior mentira que já ouvi. Se o gato não tem amor ao "dono", é porque ele não o reconhece como tal. Diferente dos cachorros, gatos têm uma personalidade muito mais parecida com a nossa: é preciso conquistá-los, ganhar a confiança e respeito deles. O cachorro vai te amar independentemente do que você faça. O gato não, ele vai te amar porque ele te escolheu. Sim, donos e futuros donos de gatos, você não vai escolher, ele é que vai. O gato é seu dono, aprenda a lidar com isso.
   O curioso é que o gato não nos enxerga como humanos, e sim como... gatos gigantes. Sim, é bizarro, mas é verdade! E entre gatos não há o sentimento de "alfa" que acontece entre cachorros. Seu gato te vê como um igual, e por isso a relação de amor deles conosco se dá de forma tão diferente. Interesseiro? Não. Mas você mesmo não ama quem não demonstra o mesmo, quem não te agrada e te cuida. Talvez a dificuldade que muitos têm em lidar com gatos seja essa: reconhecer que até mesmo com o seu bichinho é necessário um esforço de conquista diária e cuidado para além de ração. 

   E foi justamente esse amor conquistado a duras penas, até porque não foi a minha Docinho que me escolheu, eu a comprei, que me ensinou tanto. Me ensinou a ser menos egoísta, a parar de fazer tudo só para apreciar um momento de carinho e ronronados, a mostrar que ela podia contar comigo e confiar em mim. Aprendi que mãe de gato também é mãe e que esse amor é diferente de todos os outros, um amor que não cabe dentro da gente. Foi estranho no começo, eu não entendia porque ela não queria brincar quando eu queria, porque ela corria de mim quando eu queria pegá-la e porque ela decidia que queria carinho justamente quando eu estava tentando dormir, mas que recompensa eu ganhei.

Docinho
   Infelizmente ela foi vítima da maldade humana e perdê-la foi uma dos golpes mais duros que a vida já me deu e eu nunca desejei tanto que gatos realmente tivessem sete vidas, mas eles não têm e a verdade é que são muito frágeis. Então por que será que surgiu essa história de terem sete vidas? Eu não sei de fato, mas sei pela minha experiência: quando pensamos que nós os salvamos, nós é que somos salvos. Múltiplas vezes, em diversos momentos e sempre quando você mais precisa, eles estão lá. Quando chegamos ao fundo do poço, eles vão até lá e nos resgatam com um carinho inesperado, e se doam. Uma vez conquistados, se doam incondicionalmente quantas vezes forem necessárias para nós. E assim só lhes resta uma vidinha, que é tão curta, mas tão especial.

Maria
   Hoje eu tenho outras companheiras (porque isso é o que elas mais são, a companhia mais sincera  e presente que eu poderia esperar) que eu resgatei das ruas, e descobri que, novamente, elas é que me resgataram. Cada uma com a sua lição de amor, com personalidades diferentes, jeitos de amar diferentes e que são os amores da minha vida. A Meg mais bravinha e reclamona, mas muito fiel e sempre do meu lado, a Maria mais apaixonada e grudenta, a Estrela mais quietinha e tímida. Mas sabe qual o segredo? Aprender que o amor maior é o que você dá, planta a sementinha, cultiva e tem a paciência de esperar florescer.

Meg (nossa modelo das fotos dos livros) e Estrela
   E vocês, metamorphyos, têm algum pet que modificou a vida de vocês? Se ainda não têm, aconselho, do fundo do coração, que tenham. Todo mundo merece ganhar esse amor e aprender com esses serzinhos tão especiais, seja gatinhos, cachorrinhos, passarinhos... Apenas se permitam essa experiência. Me contem dos bichinhos de vocês! <3

Beijos e até a próxima!

16 comentários:

  1. Olá! Que amor de post! Tenho dois cachorrinhos que são meus xodós. Eu sempre fui apaixonada por todos os bichinhos, por isso sou vegana. Muito bacana a sua história. Beijos!

    www.brincandodeolivia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina, muito obrigada. Legal a sua atitude, eu não consigo seguir esse estilo de vida vegano, mas acho bonito.

      Beijos!

      Excluir
  2. Atualmente não tenho animais de estimação morando comigo (faz dois anos que moro sozinha, em apartamento, então é difícil cuidar de animais!), mas tenho bichinhos que moram na casa dos meus pais: 3 cachorros e 3 gatos, na verdade que são meus mesmo, é apenas uma cachorra e uma gata. Minha cachorra tem 15 anos e minha gata tem 5 anos. Cachorros são fiéis independente de como nos os tratamos, já os gatos são independentes; a minha gata é bem independente, mas sempre que eu visito meus pais, ela pede comida apenas pra mim, chega a ser engraçado; a gata da minha irmã é mais ligada na minha mãe; e o filho da minha gata (que já tem 4 anos) é mais ligado na minha irmã. É realmente o que você falou: eles que nos escolhem. <3

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lenise! Sim, eles nos escolhem mesmo! <3 Que lindo saber sobre os seus pets!

      Beijos! <3

      Excluir
  3. Oi Amanda! Que post lindo. Sinto muito pela perda da Docinho, ainda mais pelo motivo horrível. Eu tenho duas cachorrinhas que sou completamente apaixonada, o amor e carinho que envolve ter bichinhos é incrível, também concordo que todo mundo deveria ter pelo menos um e se dedicar a ele. Apesar de ter apenas cachorros, adoro gatos também. Alguns vem visitar minha casa a noite, rs, por isso sempre deixo comidinha e um espacinho pra eles.
    beijão
    www.chanelfakeblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna! Obrigada, querida. A vida nos dá umas lições de vez em quando, nem sempre agradáveis...
      Que linda a sua atitude de deixar comidinha pros seus visitantes, rs. Por mais pessoas como você no mundo! <3

      Beijos!

      Excluir
  4. Sempre tive vontade de ter um gato de estimação, acho um dos animais mais fofos e companheiros porque vejo minhas amigas que tem gatos e como é o tratamento entre eles, mais um dica com certeza irei comprar um gatinho, aqui em casa temos um cachorro que amo, por isso não dar pra ter um gatinho. Sucesso, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ade! Que bom que você já tem o seu cachorrinho, é muito bom ter um amigo de quatro patas, rs.

      Beijos, querida!

      Excluir
  5. Tenho que confessar que esse post foi o que eu mais me identifiquei de todos que eu li, eu amo cachorro, amo gato, então não tem como não amar cada linha que você escreveu. Como gateira assumida, muito obrigada. As vezes fico cansada de ouvir que gato é traiçoeiro e que só gosta da casa e não do dono, não é nada disso, eu hein.
    Tinha que imprimir o seu post e distribuir para o mundo.Tanta perdi um gato, meu Floco, por causa da maldade humana. Hoje tenho minha gatinha Safira que me enche de amor. Suas filhas felinas são lindas. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ciana! Muito obrigada mesmo pelas suas palavras! Fico muito feliz que você tenha se identificado! <3 Poxa, lamento muito pelo seu Floco =( as pessoas são tão más que eu não canso de me surpreender com o que o ser humano é capaz de fazer. Mas que bom que você tem a Safira! <3

      Beijos! <3

      Excluir
  6. Oi Amanda, tudo bem? Quantas curiosidades sobre os gatinhos que eu não sabia ainda. Realmente eles são uma caixinha de mistérios rs Desde criança sempre tivemos muitos bichinhos aqui em casa mas nunca fui eleita "dona" de um gatinho, eles sempre preferiam minha irmã haha Hoje tenho um peixinho, acredito que é bem diferente do que cuidar de um gato, mas acredito que combina mais comigo pois trabalho o dia inteiro. Uma pena você ter perdido seu gatinho, mas que bom já ter outros. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Érika! É diferente sim, mas o que importa é o carinho com que você cuida! Esse jeitinho que os pets têm de preencher os espaços que faltam na nossa vida e rotina, rs.
      Muito obrigada, viu?

      Beijos!

      Excluir
  7. Devo admitir que eu mesma não gostava de gatos - até começar a morar com três, de uma vez! A paixão foi quase que instantânea e agora não consigo me imaginar sem eles. Adorei o seu texto e, de fato, nós não escolhemos os gatos: eles nos escolhem quando sentem o amor dentro de nós.
    Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine! Muito obrigada! Que bom que você mudou sua opinião sobre os gatinhos, rs, a convivência com eles é muito gostosa e cheia de amor!

      Beijos! <3

      Excluir
  8. Eu tenho 3 gatos atualmente, mas antes deles tive 1 que ficou comigo só por seis meses, infelizmente pulou para o quintal do vizinho que tinha um cachorro, e foi atacado :c eu tinha 7 anos. Foi horrível. Com 9 anos, peguei a minha gata mais velha, hoje ela tem 13 anos. Então, ano passado, resgatei dois irmãos da rua.
    Nossa casa tem um gato para cada pessoa huahua eles são muito preciosos.

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Bruna, imagino o quão traumático deve ter sido pra você, ainda mais porque você era bem novinha. Aqui em casa elas também têm suas preferências de dono, rs.

      Beijos! <3

      Excluir

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!