quarta-feira, 5 de abril de 2017

Resenha de Série - Desventuras em Série

  Olá, metamorphyos! Vocês gostam de séries? Eu adoro! Desventuras em Série é a primeira indicação que eu trago para vocês, e provavelmente vocês já ouviram falar nessa história, seja pelos livros ou pelo filme. A Netflix está produzindo agora a série e já lançou a primeira temporada, eu assisti e vim contar para vocês o que achei! Vem comigo!




Desventuras em Série (A Series of Unfortunate Events)
Original Netflix - Ano: 2017
Gênero: Drama, Comédia (humor negro)
Temporadas: 1 - Episódios: 8
Elenco: Neil Patrick Harris, Patrick Warburton, Malina Weissman, Louis Hynes, K. Todd Freeman, Presley Smith



“Se você estiver interessado em histórias com finais felizes, vá procurá-las em outro lugar”.

  Com um histórico de séries excepcionais e sucesso reconhecido até pelos críticos mais rigorosos, a Netflix nos presenteou esse ano com mais uma produção original: Desventuras em Série. A expectativa, em especial por parte dos fãs que já conhecem a história, seja pelos livros, seja pelo filme, lançado em 2004, foi enorme, pelo desejo de ver a história ser fielmente representada, pelas novidades que a série traria e pelo elenco.

  Pois bem, Violet, Klaus e Sunny Baudelaire são as três crianças que a história nos apresenta, narrada pelo autor, Lemony Snicket, e passamos a acompanhar suas (desgraçadas) vidas. Logo de início descobrimos que os pais Baudelaire foram vítimas de um terrível e misterioso incêndio, que deixou os três órfãos e sem ter onde morar, e daí para frente uma sucessão de eventos, devo dizer, nada agradáveis acontecem com os irmãos enquanto eles tentam escapar das garras do mais pérfido dos vilões, Conde Olaf, que inventa os planos mais mirabolantes e maliciosos para se apoderar da fortuna dos Baudelaire.

Os três Baudelaires chegam ao seu novo "lar".

  Sinopse esclarecida, vamos à série. Como era de se esperar da Netflix, Desventuras em Série não só atendeu às expectativas como contagiou novos fãs com a sua superprodução, atmosfera extremamente envolvente, sombria e, por que não, cômica, e elenco escolhido a dedo. Na sua temporada de estreia foram apresentados oito episódios, sendo dois episódios por livro (são 13 livros no total), com história enxuta, sem enrolação, e o melhor de tudo: com conteúdo adicional e extremamente coerente com os acontecimentos da história original.

  A questão do elenco, como já citei, foi crucial para o sucesso da série. As comparações com o filme de 2004 são inevitáveis, mas temos os irmãos incrivelmente parecidos com os do filme, um Neil Patrick Harris LEGENDARY (sim, você deve se lembrar dele na série How I Met Your Mother) vivendo o Conde Olaf e outros personagens muito bem caracterizados e engraçados. Anteriormente, quem deu vida ao Conde Olaf foi o ator Jim Carey. A atuação de todos é fantástica, respeitando a temática da história que alterna o absurdo, o sombrio e o cômico nas mesmas doses de bizarrice. 

Os Personagens

  Incrivelmente bem construídos e carismáticos, torcemos para que a inventora Violet, o estudioso Klaus e a bebê Sunny encontrem logo a sua felicidade, mas temos que falar sobre os adultos dessa série. Beirando ao ridículo, o Senhor Poe, banqueiro que cuida da fortuna das crianças, e todos os tutores a quem as crianças são confiadas nessa temporada são absurdamente burros e jamais desconfiam de qualquer coisa, daí o desespero dos órfãos. Destaque para o Tio Monty e seu imenso carisma.

O Vilão 

  Não deve ser nada fácil encarnar um vilão tão astucioso como o Conde Olaf, mas o Neil Patrick Harris deu mais do que conta do recado. Os disfarces estão maravilhosos e a atuação e a maldade estão impecáveis. Em nada ficou devendo para o seu antecessor, Jim Carey, e apesar de muitos acharem o contrário, acredito que o Neil Patrick seja o melhor vilão que mais respeitamos. 

Destaque também para a sua trupe, que além de ridícula, está maravilhosa.



Breve Comparação: 

  Em relação aos livros, a série não poderia ser mais fiel, ilustrando perfeitamente até os eventos mais loucos que passam pela nossa cabeça quando lemos. Somente os primeiros quatro livros são retratados na primeira temporada, com algumas informações adicionais que contextualizam e explicam melhor a história para quem está assistindo. Essas informações são interessantíssimas, pois nos dão uma outra visão, além do ponto de vista dos órfãos.

  Sobre o filme, temos o acréscimo de mais um livro (Serraria Baixo Astral), que corresponde aos dois últimos episódios da série, além de atores excelentes em ambos os casos. No entanto, a série é muito mais envolvente e bem caracterizada, com uma produção, fotografia, figurino e direção muito superiores.

Por que assistir? 

  É preciso ter em mente que a série tem um lado irônico fortíssimo, o que é curioso, considerando que os livros destinam-se, inicialmente, ao público infantojuvenil. O humor negro é a marca de sucesso da história e o desejo de ver a vingança dos Baudelaire, de saber como vão escapar das situações mais malucas e de, finalmente, ver um final feliz, nos mantém entretidos por toda a temporada. Além da produção e atuação impecáveis, a série é um entretenimento garantido. Vale a pena desconsiderar os insistentes avisos do autor e acompanhar toda a tristeza e desgraça dessa história incrível.



  Agora é só ligar a Netflix e pegar a pipoca e contar pra gente o que acharam da série! Deixe a sua opinião! Beijos!

14 comentários:

  1. Sou fã das séries da Netflix, mas ainda não tive oportunidade de ver Desventuras em Série. Tenho alguma curiosidade, visto que gostei do filme e li alguns dos livros :)

    Bitaites de um Madeirense

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo! Acho que você vai gostar da série, então. Os dois últimos episódios foram os melhores, na minha opinião, porque são um conteúdo adicional ao filme. =)

      Beijos!

      Excluir
  2. Eu amo os livros e amei a personificação de cada personagem na série, mas achei cansativa, achei bem menos dinâmica que os livros, pra falar a verdade não tenho certeza se foi eu que depositei uma outra perspectiva na série, mas me agradou somente por eu já amá-la, não agregou tanto sabe. Uma pena, pois a série é linda, a fotografia, o figurino, tudo muito bonito.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paola! Concordo com você que a série é menos dinâmica, mas acredito muito no potencial dela. Eu devorei os primeiros livros, na época, mas hoje vejo que eles são os mais chatinhos. A história ainda não engrenou e ainda não sabemos nada sobre as conspirações da trama, né? Acho que ainda vai melhorar muito!

      Beijos!

      Excluir
  3. "mas temos que falar sobre os adultos dessa série. Beirando ao rídiculo ..." Acho que quase todos os atores da série beiram um pouco ao ridículo hahah Seja o Poe, que não percebe um palmo à frente do nariz, ou a esposa dele, que adora ver na manchete a desgraça dos outros, a advogada vizinha, que fica cega pelo sonho de ser atriz. Mas acho tudo muito engraçado, que não tem como não amar a série.
    Ah e destaque para a música de entrada, já viciei e me pego cantando toda vez que escuto haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, verdade, tudo tem esse ar ridículo impossível de não amar. <3

      Excluir
  4. Amei a resenha,gosto muito de séries nesse estilo!

    ResponderExcluir
  5. Estava pensando em começar a assistir e sua resenha atiçou ainda mais minha curiosidade.
    Adorei a forma como organizou seu post. Bem detalhado e claro.

    Parabéns pelo blog
    Https://sobrecadamomento.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu tô assistindo essa série e estou amando e tenho que concordar, esses adultos são muito estúpidos eu consigo entender o desespero das crianças sempre que dizem que aquele é o Conde Olaf e eles não acreditam, me dá tanta raiva. Falando em conde Olaf o Neil está arrasando nesse papel cada cena me da um orgulho dele e os figurinos NOSSA <3 <3 <3
    Chorei com a morte do Tio Monty, ele era o único que acreditou nas crianças, mas sorte que ainda não terminei os episódios. Adorei sua resenha
    entrenospicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tio Monty era muito amorzinho, né? <3 Os episódios ficam ainda melhores e eu adoro os dois últimos, na Serraria Baixo-Astral. Já tô ansiosa pela próxima temporada!

      Obrigada pela visitinha! <3

      Excluir
  7. ai kami sama uma blogueira geek com um blog lindo de kawaii <3
    eu tmb avhei a serie meio cansativa...amo o Neil Patrick Harris desde #HMYM masss Jim Carey foi insuperável nesse papel e também achei a bebê Sunny muito grandinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah obrigadaaa <3
      Poxa, a série é um pouquinho cansativa sim, mas acredito muito que o ritmo vai engrenar na próxima temporada! Os desafios serão maiores e eles vão crescendo. Particularmente eu acho os livros da metade pro final mais emocionantes, tenho muita curiosidade de vê-los na série. =)

      Beijo!

      Excluir

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!