sábado, 4 de março de 2017

BCR - O Dia de Hoje

  Olá metamorphyos! Estão bem?! Hoje é dia de blogagem relâmpago (BRC) do Café com Blog e, seguindo o estilo Desafio Imagem/Palavra o post de hoje é mais um texto autoral. Vou fazer um post pra explicar algo legal que quero fazer com esses textos. E, caso você tenha caído aqui de paraquedas, leia esse post aqui que é a introdução dessa história.


  Para melhor ambientar dá o play nessa música e vem comigo conferir essa história.


  Acordei com o sol no meu rosto, abraçada com o cobertor. Procurei pelo telefone na cômoda, estava cedo, mais cedo do que eu costumava acordar aos sábados; o despertador nem ao menos havia tocado uma única vez.

  Será que foi tudo um sonho? Fico aqui relembrando cada minuto da noite anterior.
  
  Finalmente me dou conta que a roupa que estou vestindo não é minha. Uma camisa preta e, aquele perfume. Me sentei na cama observando meu quarto. As luzes estavam apagadas. Eu normalmente me esqueço de apaga-las.

  A garrafa de vinho estava sobre a mesa com as duas taças e minha roupa dobrada na cadeira. Sinto meu coração palpitar rapidamente enquanto olho pelo quarto e para o portal que dá até a sala. Ninguém... Confesso que aquilo doeu um pouco.

  Sinceramente, eu já deveria esperar por isso, é a cara dele. E voltei a me jogar na cama com os braços abertos.

  Nesse momento, reparei num bilhete ao lado do travesseiro. Estava dobrado, meu nome do lado de fora: 'Melissa'. Desdobrei e comecei a ler. Para cada frase era uma mistura de alegria e medo, ansiedade...

  "Bom dia. Conversamos muito sobre o passado ontem.
Tome café comigo, vamos falar sobre o presente.
Passo aí às 9h."

  Olhei novamente para o telefone, sete e quinze. Me levantei e caminhei em direção ao guarda roupa, me vi no espelho; a camisa caia bem. Eu ri. No meu íntimo acho que ele não irá aparecer de qualquer modo mas, o que tenho a perder não é mesmo?

  Tomei um banho longo, deixei a água cair enquanto pensava, enquanto processava as últimas informações. Se disser que não vou me importar caso ele não apareça, é mentira. Estaria mentindo pra mim mesma e talvez essa seja uma das únicas coisas que não faço. Aonde você quer chegar com isso tudo?

  Vesti uma saia preta de tule, e uma camiseta branca de manga comprida de tecido mais fino. Prendi o cabelo num coque alto e calcei as sapatilhas mais confortável que tinha. Não poderia dizer que foi uma grande produção mas estava ok para o horário. A maquiagem foi feita apenas para base e um batom bem claro.

  Fiquei ali, me encarando no espelho, o que EU estou fazendo? Mas que droga garoto, você consegue estragar com a minha cabeça sempre e, eu sou o que pra você? Mais uma na sua lista ou como você sempre gostou de colocar, sua amiga. Apertei o telefone na mão. Olhei novamente o horário: oito e meia.

  Ouvi uma batida na porta.

  - Mel? Você já acordou?! Mel?! - a voz de homem do lado de fora do meu apartamento. Ele estava adiantado e, vindo dele, era algo surpreendente. Caminhei em direção a porta e a abri. Ele estava lá, não havia sido um sonho e, ele me encarava sorridente.

  - Você está adiantado! E... ah sim, quer entrar? - ele conseguia me deixar absurdamente sem jeito. Eu queria muito falar sobre a noite passada naquele momento mas, talvez, não fosse a melhor hora. Logo, quando senti meu rosto corar e logo me pus a falar para disfarçar - Você nunca chegou adiantado em algo, aconteceu alguma coisa?

  - É, aconteceu... Você está maravilhosa sabia? - E me abraçou, beijando-me o rosto e fazendo com que eu sentisse o mundo estremecer. - Acho que você já está pronta. Vamos? Ah sim, eu escolho o lugar, tenho medo dos seus gostos.

  - Sim, eu estou pronta e, como assim?! Tem medo dos meus gostos? - encarei-o colocando a mão na cintura sem acreditar no que acabara de ouvir. - Vou apenas pegar minha bolsa. - Ele então segurou minha mão impedindo-me que entrasse.

  - Não precisa, leva só as chaves e o telefone. Confia em mim, você já fez isso antes gata. Você lembra quando te chamava assim? - fazia anos que ele não me chamava assim, isso era coisa da época do colégio.

  Apenas assenti com a cabeça e tranquei a porta. Descemos o elevador sem trocar uma palavra. Era estranho. Passamos pelo hall do apartamento e eu adoraria que o porteiro não estivesse ali. Apenas o cumprimentei com o 'bom dia' usual. Havia um carro parado na frente do prédio. Ele se antecipou e abriu a porta para mim 'primeiro as damas', ele disse.

  - Você já comeu na Despertar, a cafeteria nova? Dizem que lá é ótimo, vamos experimentar. - Dizia confiante enquanto ligava o carro.

  - E dizem que lá é super caro! Eu não peguei nem carteira! - olhando preocupada para ele. Droga, isso não era legal, não estava acostumada com essas coisas. Aliás, nada com ele era de fato normal. - Dante, não força, eu vou ficar sem graça contigo e sem grana pra pagar.

  De carro até a cafeteria levamos algo em torno de meia hora, e ele era ótimo, me fazia rir como ninguém ainda. E começamos a falar do agora. O que eu fazia agora? Ele queria saber e, nada era incrível na minha vida, era tudo normal demais. Estava trabalhando, fazia algumas matérias aqui e outras lá e ainda sonhava em trabalhar em alguma revista conhecida. De mais, nada de útil. Ele por outro lado, disse que estava voltando pra cidade, que tinha planos, negócios, ele levava jeito com números, sua família tinha lá uma certa tradição com isso. Ele me contou das viagens, dos estudos. Das garotas. Ele era terrível quando fazia isso, e ele sempre fez mas, não posso culpá-lo, ele sempre foi meu porto seguro quando as coisas dava errado naquela época.
  Finalmente chegamos na Cafeteria Despertar, era linda e com certeza bem cara. Nos sentamos e enquanto eu olhava o cardápio já mentalizando no valor da conta ele fechou o cardápio e pediu dois waffles, um com cobertura de chocolate meio amargo e nozes e outro com frutas vermelhas.

  - Você ainda gosta desses não gosta? Ou seu gosto mudou muito? - me olhando, pela primeira vez neste reencontro. - Quando sairmos daqui, quero te levar em outro lugar, acho que você irá se lembrar dele e, quero te perguntar algo e espero que você seja honesta.

  Engoli em seco e respondi - Tudo bem, mas aconteceu algo e você não quer me contar.

  O café chegou logo e os waffles eram divinos. Ele se lembrava exatamente do que eu gostava. Tudo estava perfeito demais. Finalmente Dante começou a falar, havia de fato mais coisas. Os pais haviam falecido e todas as empresas ficado em seu nome e de sua irmã. Ele queria voltar para a cidade, ali era a sede de tudo, aonde tudo começou e talvez por isso deveria ser correto estar ali mas, que agora isso era apenas um detalhe que ele havia decidido. Procurá-la era outro. 'Por que não me procurou antes?'. Sim, eu sabia do falecimento de seus pais, a cidade toda praticamente havia ido ao velório mas eu não o vira lá. 'Não sei, talvez eu não quisesse atrapalhar sua vida', me respondeu.

  Dante pagou a conta e pediu que eu o acompanhasse. O sol estava fraco, o céu meio nublado, estava realmente um clima agradável. Dirigindo mais um pouco chegamos ao topo de um morro. Acho que não ia ali há anos.


  - Você se lembra daqui gata? Olha ali, será que ainda cabe naquele balanço? - Dante ria, enquanto subia o pequeno morro que dava em alguns balanços sentando-se no primeiro. A vista de hoje era muito diferente da de anos atrás. O que antes eram apenas algumas casa, hoje era um mar de concreto. Apressei-me a subir também e me sentei no balanço ao seu lado.

  - Como poderia me esquecer, vínhamos aqui todo fim de semana. A cidade era muito diferente. Eu não tinha medo de tanta coisa naquela época. Sabe Dante, eu sabia, naquele tempo, que você estaria comigo, sempre... - eu ri sem acreditar no que eu acabara de dizer mas, já havia dito.

  - Você era ousada, era linda desde sempre, você conquistava qualquer pessoa com sei jeito Mel e isso me dava medo. Você poderia ter a cidade inteira sob seus pés, esse é um talento que ninguém tira de você. Esse sorriso, o modo como você tem o mundo como um lugar incrível, uma tela pra ser pintada com cores alegres, como você traz alegria a quem está perto... - Ele olhava pra cidade como se estivesse longe, como se buscasse algo que não estava ali. Ele não era daquele modo. Finalmente virou-se para mim - Eu tinha medo de me apaixonar por você e, eu acabei não só me apaixonando por você mas, você me prende a esse lugar mais do que tudo...

  Respirei fundo. Se ele soubesse quantas vezes eu quis ouvir aquilo. Ele me diz que era ousada e, aonde iria minha ousadia neste momento? Me levantei do balanço e fiquei em sua frente, coloquei minhas mãos em seu rosto e tudo o que consegui lhe dizer naquele momento foi 'então fica... Fica dessa vez e não me deixa mais'.

  - Lembra que te disse que precisa perguntar algo e gostaria que você fosse honesta? - Ele me fitava sério, olho no olho. - Você ficaria ao meu lado, continuaria ao meu lado independente de quem eu já fui, do que já fiz ou precisei fazer para chegar até aqui? Digo, eu não fui a melhor pessoa do mundo você sabe disso mas todo mundo tem coisas que não confiaria a própria sombra... - e segurava minhas mãos enquanto se levantava me virando de costas e me abraçando e sussurrando em meu ouvido - acho que você é a única pessoa que eu confiaria nesse ponto da minha vida....


  Espero que tenham gostado deste textão e o post era para ser inspirado na imagem que o ilustrar e utilizarmos as palavras 'medo' e/ou 'ousadia'. O que acharam metamorphyos? Como disse, esse texto é a continuação do link que deixei lá em cima. Irei fazer um outro post falando da ideia que tive para esses textos e os desafios de imagem do grupo. Gostaram? Exagerei? Nada a vê?! Me digam o que acharam!

Beijos e até!

16 comentários:

  1. Que texto mais amorzinho esse! Acho que todo mundo já teve ou vai ter uma relação com um cara que parece ser incrível a primeira vista, mas que depois nos decepciona, mas no fundo a gente torce para ele mudar e se tornar O Cara da nossa vida.

    obs: ler com a música de fundo faz toda a diferença!

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo ctg, acho que todo mundo já teve alguém assim na vida, acho que a Mel tá com essa vontade, dele ainda ser 'o cara' e não ter mais a dúvida do 'e se', mas sei lá, acho que ele tá perfeito demais ne rsrs? Que bom que gostou da música, escolhi pra encaixar no texto ^^ e fico mais feliz ainda que tenha gostado! beijos linda!

      Excluir
  2. Ler seu texto, ouvindo Lady Antebellum foi maravilhoso, inclusive vou procurar depois a música para baixar. Bruna gostei tanto do seu texto, que me inscrevi, tenho pouco tempo mas espero poder voltar mais vezes.
    Sua escrita é muito envolvente, o texto ficou ótimo. Adorei tudooooo!
    Uma só imagem, e histórias diferentes isso é muito bom mesmo.
    bjs
    www.simplesmenteciana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ci! Procura sim, essa música é linda e eles mandam super bem ne?! Ah <3 obg de coração por se inscrever viu?! Fico tão feliz que tenha gostado, apesar do texto ter ficado bem grandinho! Sim, eu vi textos lindos tbm, é incrível como somos criativos e conseguimos criar tantas coisas legais né?! ^^ beijos linda!

      Excluir
  3. Achei o texto super legal! Confesso que não li a primeira parte e, ainda que seja a continuação de uma história, não faltou nada. Deu para conhecer os personagens, se ambientar nos ocorridos pelos pensamentos de Melissa (aliás, amo esse nome!) e tudo casou com o modo que você incluiu as palavras e a imagem na história!
    Adorei a sua narrativa também, a leitura flui bem e super rápido, mesmo sento um texto longo (e eu adoro textos longos, viu?! rs).
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Re! ^^ Que bom, eu tentei passar como se sentiam, os lugares... Se desse pra colocar cheiros no texto eu tbm colocaria rsrsr Melissa é um nome lindo não é?! Que bom que vc gostou, ficou longo mesmo! Ok, vou anotar, mas textos longos são legais quando tem história rsrsr eu tbm adoro! obg viu? o que vc me disse me motiva a continuar com essa linha de texto =) beijos linda!

      Excluir
  4. Admito que fiquei um pouco perdida no contexto, mas amei o texto, parece algo muito real, e claro sua escrita está muito legal, hoje em dia adoro achar escritas assim envolvente.
    Gostei muito do li, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taina ^^ bom, isso é importante vc me dizer, a ideia dele foi fazer uma continuação (e haverá mais), mas perdida no todo ou por causa disso? Me diz por favor para que eu tente melhorar no próximo viu?! Mas fico feliz que vc tenha gostado da escrita =) Vou me esforçar pra melhorar tá ^^ beijos linda!

      Excluir
  5. Um tempo atrás eu acharia fofo, mas hoje em dia eu não daria bola pra esse cara huahua
    quem ele pensa que é aparecendo assim de novo e mexendo com meu coração? kkkkkk

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bru! Não vou mentir pra vc que hj eu penso meio parecido, as pessoas não tem esse direito mas né, ela tá la de bobeira, solteira, era apaixonada no cara rsrsrsr acho que aproveitou o momento tbm =p beijos beijos!

      Excluir
  6. Bruna achei o maximo, fiquei grudada querendo saber tudo e com os detalhes que vc ia dando fui visualizando tudo na minha mente "o fantastico mundo de bob" kkkkkkkkk eu gostei demais! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mai ^^! Que bom qu vc gostou e consegui 'ver' assim como eu 'vi' conforme fui escrevendo e, mesmo sendo um texto grande vc tenha gostado =) beijos beijos!

      Excluir
  7. Ai gente, que conto lindo! Dante é um dos nomes que eu daria pro meu filho, haha. Histórias de reencontros são sempre lindas, principalmente quando reservam algo... Adorei o modo como você construiu a narrativa, as descrições, me prendeu do início ao fim! Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nath! =) Dante é um nome lindo, mas segredo aqui: lembrei do nome por causa do Dante do Devil May Cry <3 fico mt feliz que vc tenha gostado, foi um texto bem longo, mas espero que tenha passado tudo o que eu senti de cada personagem ^^ beijos linda!

      Excluir
  8. Conto lindo! Sua escrita é ótima! <3
    Não li o outro post ainda, introdução, mas me encantei com essa 2º parte! Vou agora mesmo la ler! Amei! Bjuus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Julia! Tudo bem ^^?! Me conta depois o que você achou, terá continuação viu? Fico muito feliz que tenha gostado e obrigada pelo carinho, isso me motiva demais a continuar =) beijos linda!

      Excluir

Olá metamorphyo! Se você chegou até aqui, obrigada por ler o post! Comente aqui o que você achou, se gostou ou não, algo que faltou, sugestões, críticas... Vamos conversar a respeito! Afinal, sua opinião é muito importante para nós. Ah sim! Pode comentar e ative a notificação; pois, sempre respondemos os comentário - normalmente aos finais de semana <3!