sexta-feira, 23 de junho de 2017

Resident Evil 7 - O que Achei

  Olá metamorphyos! Como vocês estão?! Nessa altura do campeonato, acho que todos já viram e ouviram sobre Resident Evil 7. Quando a ação em abundância fica de lado e o terror assume novamente o controle, convido vocês para discutirmos um pouco sobre este último game da franquia. Vem comigo!
  Se você ainda não jogou, bom, esse post pode conter alguns spoiler mas, como disse, nessa altura do campeonato acho que tudo o que deveria ter sido dito e visto já foi jogado no ventilador, inclusive diversas teorias. Mas vamos por partes.
  O que dizer de RE7? Lançado no início do ano, uando a maioria dos fãs da franquia Resident começaram a questionar o quesito terror (apesar de ter gostado muito desde RE4, 5 e 6 por apresentar bem a história), a grande marca do game, a Capcom resolveu nos presentear com um Resident totalmente reformulado e... tenso. Terror aqui é o carro chefe sem dúvidas.
  A hype do jogo foi gigantesca graças a demo. Felizmente o jogo foi super bem recebido mesmo com as grandes mudanças - obviamente há sempre os que são do contra mas vamos relevar. Mudanças estas que nos colocam com um personagem até então nunca visto, que é uma 'pessoa normal' e uma câmera em primeira pessoa.

  Sobre os cenários. São cenários realmente bem produzidos e detalhados, com excelentes efeitos gráficos, como a iluminação e degradação o que te colocada a cada cômodo e casa ainda mais dentro da história e do clima do jogo.
Linda e acolhedora casa dos Baker.
  As músicas e sons de ambiente também ficaram bem posicionadas. Além de que particularmente como já falei nesse post aqui, a música tema para mim ficou perfeita e bizarra o suficiente para ser digna do jogo.

  A história fica bem contada (e sim, estou amando boa parte dos jogos agora virem com a legenda em pt-br), os files (ou documentos se preferirem) e fotos que encontramos durante o jogo enriquecem os detalhes. Além de, assim como na parte da demo, podermos jogar algumas passagens com outros personagens sem ser o Ethan em momentos totalmente diferentes do qual nos encontramos. Se você não jogo vai spoiler aqui; afinal, que raio  de 'puzzle' com final 'lindo' é aquele do aniversário metamorphyos?!

  Falando em puzzles, Resident 7 nos coloca nessas partes jogáveis para vermos itens e momentos dos quais Ethan precisa para o momento presente. Assim como na demo quando temos a parte que há a descoberta do 'botão' na lareira.
achei aqui ^^
  Sobre os personagens? Bom eu não sei dizer ao certo se achei o Ethan (nossas mãos!) o cara mais carismático, não mesmo mas, ele é ok dentro da história. A Mia me surpreende no final, sobre quem ela é (é, Ethan é casado com ela e nem sabe do trampo da guria direito o.o) e com o decorrer é compreensível os ataques ao marido. Jack Baker, 'o pai'; ele é doentio mas acho que ele aqui ainda não é o pior apesar de ser bem chato de se enfrentar. Marguerite Baker, 'a mãe'; gente, sério, que mulher 'nojenta' no sentido do que ela usa para atacar, aqueles insetos são chatos de matar mas felizmente, temos um lança-chamas <3 Lucas Baker, 'o irmão', na minha opinião, o que fica mais sádico e encontramos documentos que ele simplesmente não aceita Mia na 'família', ele é o responsável pela maioria dos puzzles e armadilhas que encontramos no game. Zoe Baker, 'a irmã'; vemos o rosto de Zoe apenas no final mas, meu amigo, se ficamos vivos e passamos por muita coisa boa parte dos méritos vai pra ajuda dessa garota que na minha opinião, bom, acho que o desfecho dela poderia ter sido outro... Eveline, cá chegamos a nossa grande vilã, a boss final e, quem diria que a 'vovó' inofensiva era o verdadeiro problema? Pois é, acho que o jogo conseguiu manter esse mistério até o fim e de um modo verdadeiramente digno.
A linda e 'tradicional' família Baker, sem a Zoe é claro.
  Ao contrário dos demais jogos, também não temos uma horda de zumbis alucinados sem fim atrás de você. Obviamente próximo ao término do game a quantidade aumente assim como a dificuldade mas, os zumbies são colocados de forma mais inteligente e estratégica com a famosa, qualidade e não quantidade. Zumbies que por sinal são bem nojentinhos.

  Com exceção dos Bakers que sofrem mutações durante os encontros com eles, dessa vez não temos zumbies tão 'humanos' quanto nos outros jogos e sim, ao meu ver e entender, o poder de Eveline gerava aqueles 'fungos' que dominavam os locais e os zumbies seriam as pessoas desaparecidas que foram totalmente infectadas por esse fungo/vírus.
Zumbies, sempre simpáticos.
  E sobre teorias metamorphyos?! Quem seria o homem que alega ser um Redfield no fim do game quando Ethan é salvo? O nome Redfield é bem conhecido entre os jogadores da franquia sendo este o sobrenome de Chris e Cleire. Mas o controverso seria SE ele fosse o Chirs (o que pra mim não faz sentido algum conhecendo o Chris, nem cronológico nisso tudo) ele estar indo embora num helicóptero com o símbolo da Umbrella (olha ela aqui que demorou a dar as carinhas <3).

  E pra finalizar, temos uma DLC vindo por aí chamada 'not a hero' que aparentemente será jogada com esse Redfield e que foi adiada pois segundo os produtores eles iriam reformulá-los para a grande expectativa que os fãs estão colocando sobre ela.

  E vocês metamorphyos? Jogaram RE7? Viram alguém jogar? O que acharam do jogo? da jogabilidade? Dos personagens? Esperando por um novo Residente? Qual a melhor parte do game para vocês?! Me contem!

Beijos e até!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Por que assistir Vikings?

   Olá, metamorphyos! No post de hoje eu trouxe uma indicação especial pra vocês: Vikings! Se vocês ainda não assistiram... sinto muito, rs. Corram pra corrigir isso depois desse post! <3

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Parceria: Loja Fenrir

  Olá metamorphyos! Tudo bem com vocês?! É com felicidade que trago para vocês o post de hoje: nossa nova parceria, a loja de camisetas Fenrir. Vem saber mais!

domingo, 18 de junho de 2017

Tattoo Aquarela: O que é + Vídeo

  Olá metamorphyos! Como vocês estão?! Vocês sabem minha paixão pelas tatuagens e, o post de hoje não é inspiração mas vamos falar um pouquinho sobre as tatuagens aquareladas e levar vocês para me acompanharam na minha última tattoo. Então vem comigo!